escritas com a etiqueta "filosofias da treta".
12:56
segunda-feira
01 abr 2013

paradoxo de epiménides
epiménides foi um poeta, filósofo, profeta e místico grego que viveu em meados dos anos 600 a.C


este é um dos piores dias do ano em que quase toda a gente tenta dar a sua mentira na brincadeira (e eu não acho piada nenhuma)

isto fez-me lembrar o paradoxo da mentira e deu-me um bocado de trabalho encontrar o autor original desta "chalaça".

o paradoxo começa quando alguém afirma: "tudo o que eu digo é mentira"...
se considerarmos que é verdade, nem tudo o que a pessoa diz é mentira e, se for mentira, quer dizer que a pessoa está a mentir mas nem tudo o que diz é mentira. tentar chegar a uma conclusão provoca um nó no cérebro e por isso é que se trata de um paradoxo.

neste dia apetece-me dizer que o super-homem é uma das minhas super-personagens preferidas porque nunca mente e adorei o filme com o ricky gervais, "a invenção da mentira" (grande filme, que dá que pensar)

 
rui duarte
11:25
sábado
30 mar 2013

limites esbatidos
okay, este vídeo anda na berra por causa da sua versão alternativa em que as meninas andam com as maminhas de fora mas acontece que gostei imenso da música, está muito bem arranjada (tirando a parte do "rap" que estraga qualquer música). vamos ouvir:



Robin Thicke - Blurred Lines ft. T.I., Pharrell

em relação ao senhor cantor, robin thicke: eu não o conhecia mas depois de ouvir esta música tentei e não gostei porque o homem canta em falsete e deve ter a mania que é elegante ou irresistível (aliás, o seu estilo de música resume-se mais ou menos a essa condição) mas ainda tem que comer muita papa de milho para chegar aos pés do nosso tony (carreira). os sapatos de verniz e as vestimentas do engate escondem provavelmente um corpinho pouco bonito com maminhas descaídas (sempre ouvi dizer que um fato "pipi", mesmo que seja da macmoda, faz - toda - a diferença).
depois o seu slogan, "thicke has a big dick", também diz muita coisa e nenhuma é positiva. enfim.

agora o pharrell, sim! é aquele pretinho com olhos em bico que faz magia em todas as músicas que produz e pertencia aos N.E.R.D. (uma banda da treta).
gosto dele mas faz-me aquela comichão (confusão? não sei) sempre que vejo um preto com tatuagens.

o pateta do rap não sei quem é (e estou bem assim)

 
rui duarte
15:23
quarta-feira
20 mar 2013

mentalidades
as capas da bola nos últimos dias reflectem um fenómeno social qualquer, ou não fosse o benfica "o clube do povo" (ou das massas, como lhe quiserem chamar).

e escorregão do porto contra o marítimo no domingo e a victória folgada do benfica no mesmo dia resumem a história.
o facto de lhes faltarem jogos teoricamente mais complicados do que os do porto e ainda jogarem contra esta mesma equipa (o seu adversário directo ao título) não conta para nada agora que estão com uma vantagem de 4 pontos... e eu já ouvi muita gente a dizer com toda a convicção que o título está ganho (é bem, não é?)

primeira página do jornal não-oficial do benfica de ante-ontem:



capa de ontem:



capa de hoje:



ou seja (aqui vem a moral da história), primeiro a festa, depois a euforia e, finalmente, a (falsa) humildade (porque entretanto lembraram-se que as coisas ainda podem dar para o torto e depois ficam mal na fotografia)

agora quero mesmo que o benfica se espalhe até ao fim do campeonato porque eu também sou um habitante deste país pobrezinho em moral e tenho que fazer justiça a essa circunstância

(resumindo, mais do que querer que a minha equipa ganhe, quero que os outros se lixem porque merecem, e não devia ser assim)

 
rui duarte
13:39
sexta-feira
22 fev 2013

este texto causou-me insónias e olheiras. nunca mais é sábado. tenho saudades tuas. amo-te.

Morreste-me de José Luís Peixoto:

http://bemaior.files.wordpress.com/2009/11/morreste-me_jose_luis_peixoto.pdf




 
palmira maria
15:08
sábado
16 fev 2013

quem é a li bingbing?
afinal a mulher que usou o mesmo modelo de vestido verde (da marca gucci) que a katy perry na entrega dos prémios grammy tem nome: li bingbing



é uma chinesa com 39 anos (não parece). ganhou prémios de música e é uma actriz muito popular na china. além disto é embaixadora da boa vontade, embaixadora pela defesa dos animais e da terra e também embaixadora da cultura koreana na china.

depois das apresentações (que a "prima" da zooey deschanel não precisa) começou o debate e as postas de espada: a quem é que o vestido fica melhor?
há quem diga que o aspecto da katy perry é bem mais apelativo (pois, parece conversa de homem, não é? lá vieram as feministas e os direitos dos animais) e muitos dizem que a amarela tem muito mais classe e que a americana usou vários números abaixo para lhe saltarem as mamas (porque a porca não tem cérebro).

tenho a dizer que um estudo recente comprovou que as mulheres com mais curvas têm um QI mais elevado mas, como sempre, estes estudos são mal explicados e esquecem-se de dizer que se pode (ou não) aplicar esta conclusão a mulheres da mesma raça que estejam nas mesmas circunstâncias expostas aos mesmos factores e, já agora, que ter curvas não é ser gorda (senão a fanny da casa dos segredos era um génio).

tirando as polémicas de internet incitadas pela falta de esclarecimento, com ou sem vestido e estudos à parte... ficamos na mesma.


nota amarela com pouco a ver:
hoje também descobri que o jackie chan é um popularíssimo cantor pop na china, com mais de 20 discos lançados (uma espécie de tony carreira daquelas bandas), também tem uma grande empresa, muito bem sucedida, que fabrica fatos com corte chinês (isto eu já sabia) e o seu próprio restaurante onde ele também dorme (parece mentira ou piada mas é mesmo verdade... vi numa entrevista dada por ele que dorme na cozinha tal como todos os chineses que têm restaurantes)

 
rui duarte
12:02
segunda-feira
04 fev 2013

"lol" em voz alta
ouvi mesmo agora vindo de um adulto e... ora... "lol" significa "laughing out loud" e consta do dicionário INGLÊS desde março de 2011.



já de si é estúpido compactar uma frase nas suas iniciais mas usar esse acrónimo (mesmo que seja no papel ou na internet) é mais grave ainda, sinal que o mundo anda a perder faculdades que se calhar nunca teve.

sugestão:
arranjar acrónimos para a internet em português que também dão para dizer em voz alta, por exemplo, "JEF" de "já estou farto!" ("fofinho", não é?)

gosto do facto de existirem pormenores que me fazem sentir menos estúpido que os outros e é bom falar sobre isso (é capaz de ser a minha cena, há quem não goste de kuduro e eu sou assim)

nota rápida:
não queria referir "you only live once" ("YOLO") que, para além de muito parvo, é mesmo muito gay! mas teve que ser.

 
rui duarte
11:46
segunda-feira
04 fev 2013

rihana - only girl (in the world)


é fácil gostar destas coisas quando o nosso cérebro é apanhado distraído... nos últimos dias ouvi várias vezes esta música e facilmente consigo concluir que gosto (mesmo que seja uma música da tanga com uma mensagem batida... mas eu gosto do som da voz da rihana)

 
rui duarte
11:57
sexta-feira
01 fev 2013

coisas que se diz ou devia dizer
eu gosto destas coisas, não porque ache que faz alguma diferença se forem postas em prática mas porque dá uma certa satisfação pensar que o vidro do nosso telhado aguenta mais pedras que os outros (ou então, que mandem pedras à vontade porque não me importo e nem entro em lutas com pedras).
muitas destas coisas que vou lendo fazem-me pensar um bocadinho antes de abrir a boca ou tomar certa decisão (mas, mais uma vez, vai dar ao mesmo).

gostei de ler principalmente porque está em português de portugal (uma espécie em vias de extinção) e copiei o artigo completo porque não tenho pachorra para seleccionar:



Quer fazer uma grande diferença na vida de alguém? Aqui estão coisas que deveria dizer todos os dias aos seus colaboradores, colegas, família, amigos e toda a gente com quem se preocupa:

“Aqui está o que eu penso.”

É a sua pessoa que está no comando, mas isso não significa que é mais inteligente, informado ou perspicaz que todos os outros. Reveja as suas frases e decisões. Dê razões. Justifique-se com lógica e não com posição ou autoridade.
Apesar de levar algum tempo a explicar as suas decisões, abrir o jogo e essas decisões para discussão ou critica, também possibilita a melhoria das suas decisões.
A autoridade pode fazer com que esteja “certo”, mas a colaboração faz com que todos estejam certos – e faz com que todos puxem para o mesmo lado.

“Estava errado.”

Certa vez surgiu-me uma ideia que pensava ser um plano incrível para melhorar a produtividade como um todo, movendo uma equipa inteira para uma disposição diferente da atual numa linha de produção em aberto. A inconveniência para a equipa era considerável, mas a recompensa parecia valer a pena. No papel, era perfeito.
Na prática, não era.
Então, algumas semanas mais tarde encontrei-me com a equipa e disse:”Eu sei que não pensaram que isto iria funcionar, e estavam certos. Eu estava errado. Vamos voltar para a vossa disposição original.”
Senti-me péssimo. Senti-me estúpido. Tinha a certeza que acabava de perder todo o respeito que tinham por mim.
Acontece que estava errado sobre isso, também. Mais tarde, um funcionário disse-me:”Não sei quem você é, mas o facto de estar disponível para admitir que estava errado disse-me tudo o que precisava de saber.”
Quando estiver errado, diga que está errado. Não vai perder o respeito – vai ganhá-lo.

“Isso é fantástico.”

Ninguém recebe elogios suficientes. Ninguém. Escolha alguém – qualquer um – que faz ou fez algo bem e diga, “Uau, isso foi fantástico, como é que fez…”
E sinta-se livre para voltar atrás no tempo. Por exemplo, “há uns tempos, estava a pensar em como lidou com a questão do colaborador no mês passado…” pode não só ter um impato positivo hoje como poderá ter mais tarde. (Pode ter um grande impato porque mostra que ainda se lembra do que aconteceu no mês passado e que ainda pensa sobre isso.)
O louvor é um presente que custa a quem o dá, mas tem um valor inestimável para quem o recebe. Comece a louvar. As pessoas à sua volta vão gostar de si por isso – e você passará a gostar um pouco mais de si também.

“Seja bem-vindo.”

Pense sobre o momento em que deu uma prenda a alguém e o recetor pareceu desconfortável ou estranho. A reação dele tirou-lhe um pouco do seu entusiasmo, certo?
Pode acontecer-lhe a mesma coisa sempre que lhe agradecem, cumprimentam ou elogiam. Não estrague o momento ou a diversão da outra pessoa. Ser o centro das atenções pode fazer com que se sinta desconfortável ou inseguro, mas tudo o que tem a fazer é um contato olhos nos olhos e dizer: “Obrigado.” ou um contato ocular e dizer: “Seja bem-vindo. O prazer é todo meu.”
Não deixe que os agradecimentos, congratulações ou elogios sejam tudo sobre si. Torne-os um pouco sobre a outra pessoa também.

“Pode ajudar-me?”

Quando precisa de ajuda, independentemente do tipo de ajuda que precise ou da pessoa que precise, apenas diga, com sinceridade e humildade, “pode ajudar-me?”
Prometo que vai conseguir a ajuda pretendida. E no processo vai ainda mostrar vulnerabilidade, respeito, e uma disposição para ouvir – o que, aliás, são todas as qualidades de um grande líder.
E são todas as qualidades de um grande amigo.

“Sinto muito.”

Todos nós cometemos erros, então todos nós temos razões para sentirmos a necessidade de nos desculpar: palavras, ações, omissões, falhas em melhorar, mostrar apoio…
Diga que lamenta e peça desculpa.
Mas nunca seguir um pedido de desculpas com um aviso tipo “mas eu estava verdadeiramente chateado porque…” ou “mas eu pensei que estava a…” ou qualquer outra frase que, de alguma forma, tente colocar o mínimo de culpa possível na outra pessoa.
Peça desculpa, diga qual a razão, e fique com todas as culpas. Nem mais nem menos.
Depois, ambos vão querer começar tudo de novo, felizes da vida.

“Pode mostrar-me?”

Os conselhos são temporários, o conhecimento é para sempre. Saber o que fazer ajuda, mas saber como ou porque fazer significa tudo.
Quando pede para ser ensinado ou que lhe mostrem qualquer coisa, acontecem várias coisas: implicitamente está a mostrar que respeita a pessoa que dá o conselho, mostra que confia na sua experiência, habilidade e conhecimento, e começa a avaliar melhor o valor do conselho.
Não basta pedir por informação. Peça para que lhe ensinem ou treinem ou mostrem.
Aí, ambos saem a ganhar.

“Deixe-me dar-lhe uma mão.”

Muitas pessoas vêem o pedido de ajuda como um sinal de fraqueza. Então, existem muitas pessoas a hesitar em pedir ajuda.
Mas todos precisamos de ajuda.
Não basta dizer: “há algo em que possa ajudar?” A maioria das pessoas irá dar-lhe uma resposta reflexiva e automática “Não, estou apenas a procurar,” tipicamente dada aos vendedores nas lojas e concluir com: “Não, está tudo bem.”
Seja específico. Encontre algo em que pode realmente ajudar. Diga “tenho alguns minutos. Posso ajudá-lo a terminar isso?” Ofereça de uma forma que transmita um espírito colaborativo, e não paternalista ou gratuito. Modele o comportamento que quer ver nos seus colaboradores.
Depois arregace as mangas e ajude.

“Gosto de ti.”

Não, não no trabalho, mas em todos os lugares que o quer dizer – e todas as vezes que o sinta.

Nada.

Por vezes, a melhor coisa a fazer é não dizer nada. Se está chateado, frustrado, ou com raiva, fique calado. Poderá pensar que um pouco de ar o fará sentir melhor, mas nunca faz.
Esta ideia é especialmente verdadeira quando os seus colaboradores estão em causa. Os resultados vêm e vão, mas os sentimentos são para sempre. Critique um colaborador num ambiente de grupo e irá parecer-lhe que, eventualmente, ele percebeu a mensagem, mas por dentro, ele não percebeu. Nem vai perceber.
Antes de falar, gaste mais tempo a considerar como os colaboradores irão pensar e sentir em vez de avaliar se a decisão faz sentido. Poderá facilmente recuperar de um erro cometido por causa de dados imprecisos ou projeções mal realizadas.
No entanto, nunca irá recuperar de um erro infligindo a auto-estima do colaborador
Fique quieto até que saiba exatamente o que dizer – e o efeito exato que as suas palavras terão.

 
rui duarte
11:14
sexta-feira
01 fev 2013



 
rui duarte
13:09
domingo
20 jan 2013

"django unchained"
é o filme mais recente realizado pelo senhor quentin tarantino e tal como todos os outros pode-se dizer que é um filme bom sem ser cansativo e que consegue ser divertido sem perder qualidade (a fórmula ideal para levar manadas ao cinema).



o defeito é o tema "nhonhinhas":
então acabou de falar no hitler mau (no "inglourious basterds") e agora são os pobres escravos dos estados sulistas da américa? já se sabe que os judeus são as grandes vítimas da história e que basta falar no holocausto para as pessoas os deixarem passar à frente na fila da padaria mas estas tentativas "a fingir" que vamos "mudar" (ou melhorar?...) mentalidades é um bocado forçada porque aquela meia dúzia de gatos pingados que já se esqueceu que a escravatura nos states terminou há um século e meio não deve ter o hábito de ir ao cinema ver um filme e comer pipocas.

a parte engraçada é que ainda existe escravatura pelo mundo todo mas o que interessa é que eu gosto de westerns (filmes de cowboys)

ainda estou a meio do filme mas já sei que vou gostar, a não ser que apanhe algum grande desgosto... e nesse caso então volto a escrever sobre isso (mas não me parece)

nota escravizada:
estive a ver a página da wikipédia "Slavery in the United States" e, tal como a página dedicada ao holocausto, é extremamente longa (há uma teoria que afirma que quando se está a mentir as histórias perdem-se em pormenores e ficam mais compridas), de qualquer maneira entretive-me algum tempo a ler e descobri que foram enviados para a américa 600 mil escravos provenientes de áfrica que entretanto se reproduziram e chegaram aos 4 milhões, isto em três séculos.
e também li que a libéria foi fundada com os escravos devolvidos a áfrica.

 
rui duarte
15:51
domingo
13 jan 2013

assim disse o freud (ou não)

"O que Pedro pensa de Paulo, diz mais sobre Pedro do que Paulo"

é uma frase que se crê da autoria de freud mas apareceu bastante recentemente.
a frase original pertence a uma senhora francesa chamada lise bordeau que escreve livros da treta sobre inspiração e motivação, na sua forma original: "Ce que Pierre pense de Paul en dit plus sur Pierre que sur Paul"

eu cheguei a esta conclusão sozinho, que quando alguém nos diz mal de outra pessoa está a denunciar a sua maneira de ver e avaliar os outros e o que diz sobre a outra acaba por não ter importância porque apenas o podemos confirmar com a nossa experiência (um facto que faz parte da nossa natureza é que todas as pessoas, além de idiotas, são potenciais aldrabões)

outra frase indevidamente atribuída a freud foi escrita por william gibson, um escritor de ficção científica que celebra o seu aniversário dois dias depois de mim (no dia de são patrício):

"Antes de ser diagnosticado com depressão ou baixa estima, certifique-se de que não está rodeado por idiotas."

(uma inspiração que se comprova de vez em quando e dá um bocadinho de estima própria... porque sabe bem ter provas que somos uma maioria de idiotas e "eu" não sou assim tão idiota - mas não serve de nada)

para terminar, a última frase atribuída a este senhor que fumava como um cavalo, não gostava de quem não era fumador e dizia que os cigarros simbolizam o pénis porque são cilíndricos e em forma de tubo, com uma ponta quente e vermelha donde sai fumo como se fosse sémen:

"por vezes um cigarro é apenas um cigarro"

ora... esta frase apareceu pela primeira vez num jornal importante e com muito crédito, cerca de 10 anos após a morte do psicanalista e foi citada a partir daí. basta um pateta lembrar-se de mandar uma patagoada para ser verdade daí para a frente (e é também por isto que eu acho que devia haver uma distinção entre o que aparece na internet em português de portugal e em "brasileiro", porque eles são muitos mais e dali vem mais có-có - ao menos uma página na wikipédia independente porque já passou o limite do erro humano)

estou farto de ver erros claros que surgem da ignorância e falta de brio (já vi dizerem que certa música do lionel richie é do bob marley, só para dar um exemplo)

sumário:
não acreditar em tudo o que se lê e, em relação ao senhor freud (um charlatão), uma pessoa torna-se uma autoridade quando a sua audiência é ainda mais idiota do que ela.

 
rui duarte
12:54
sábado
05 jan 2013




 
rui duarte
12:48
sábado
05 jan 2013



 
rui duarte
14:39
terça-feira
25 dez 2012

há pouco estava a pensar nisto:



 
rui duarte
14:29
terça-feira
25 dez 2012

zona de conforto
há pouco tempo lembrei-me de uma frase que ouvi sobre a zona de conforto e então pesquisei por "life confort zone"



o senhor norte-americano que disse que "a vida começa onde termina a zona de conforto" interessou-se pela religião quando era novo porque a sua mãe acreditava em deus mas não precisava de ir à igreja.
ele teve uma vida muito bem sucedida e o seu próprio programa de rádio mas um dia partiu o pescoço num acidente de automóvel e, depois de perder o casamento, os amigos e o dinheiro, passou a viver na rua - e foi esta história que o fez multi-milionário.

se bem me lembro (desde há 10 minutos) a frase original não acaba aqui: "se estiveres desconfortável lembra-te que a mudança que está a acontecer agora é um início, não é um fim"

"zona de conforto" é uma expressão tonta e, já agora, um grande sábio um dia disse que "a vida é uma viagem, não é um destino" (foram os aerosmith, ahahah!)

já que estou numa de ideias inúteis, é bom ser louco - os loucos gastam mais dinheiro (nota: só um louco paga para ir ao cinema nos dias que correm, mesmo que seja um filme do tim burton)



pouca gente sabe que quem disse que "o que não mata, engorda" foi um filósofo alemão:



e, para terminar em grande, aquele que os ignorantes dizem que foi o mais inteligente do mundo mas era apenas um judeu cuja grande contribuição para a humanidade foram as suas frases parvas e inúteis mas que "fazem pensar" (quem raramente o faz)



não aprendi nada, perfeito.

 
rui duarte
16:54
sexta-feira
07 dez 2012

O Tamanho das Pessoas


"Os Tamanhos variam conforme o grau de envolvimento. Uma pessoa é enorme para ti, quando fala do que leu e viveu, quando te trata com carinho e respeito, quando te olha nos olhos e sorri.

É pequena para ti quando só pensa em si mesma, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade, o carinho, o respeito, o zelo e até mesmo o amor.

Uma pessoa é gigante para ti quando se interessa pela tua vida, quando procura alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto contigo. E pequena quando se desvia do assunto.

Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma. Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos da moda.

Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas. Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.

É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. O nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de acções e reacções, de expectativas e frustrações.

Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente torna-se mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes.

Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. é a sua sensibilidade, sem tamanho."

Willian Shakespeare

encontrei este texto na internet com o nome do senhor shakespear mas não sei até que ponto confio na fonte porque (ponto número um) está escrito em brasileiro, (ponto número dois) não encontrei o texto original e (ponto número três) nunca se confia nas coisas que se vê na internet (mesmo que seja na wikipédia, aquele sítio fiável porque todos podem alterar os conteúdos)

como diria o senhor lincoln...



no fim de contas gostei desta filosofia da treta porque, de uma maneira geral, os mecanismos humanos estão mais ou menos espelhados neste texto (mesmo que as pessoas não se apercebam - e não tem que ser em questões amorosas)

 
rui duarte
14:10
terça-feira
04 dez 2012


eu não reparei, no dia 12 de novembro (há mais de meio mês) o senhor rodin (lê-se "rodan") faria 172 anos (mas este francês já morreu há muitos anos)

a obra mais famosa do pai da escultura moderna é o pensador (que toda a gente fala) mas existe uma obra inacabado que eu gostei (pela ideia) e sempre pensei que era em fátima (onde as velhas queimam as velas)



"A commission to create a portal for Paris planned Museum of Decorative Arts was awarded to Rodin in 1880. Although the museum was never built, Rodin worked throughout his life on The Gates of Hell, a monumental sculptural group depicting scenes from Dante´s Inferno in high relief. Often lacking a clear conception of his major works, Rodin compensated with hard work and a striving for perfection" (retirado da wikipédia)

e ainda tem outra famosa, trata-se de um "fragmento" (eu não percebo nada disto mas deve ser porque não é um corpo completo, falta aquela parte importante - a cabeça), o caminhante (walking man)


sei lá porquê (talvez porque é a três dimensões), a arte que eu gosto mais é a escultura

 
rui duarte
 
escritas com a etiqueta "filosofias da treta".
 
1 2
 
(página...)
 
etiquetas:
escritas: 2324

rui duarte

palmira maria