escritas com a etiqueta "diário de bordo".
18:26
quarta-feira
04 jul 2012



 
rui duarte
09:57
quinta-feira
23 fev 2012

faltam nove dias


 
rui duarte
13:38
domingo
12 fev 2012

whitney houston (ideias soltas)


a música é "i will always love you", uma das míticas dos anos 90 que, salvo erro, foi banda sonora do bodyguard com a própria e o kevin costner (o que é feito dele?)

isto vem a propósito da morte da cantora e já agora, a música foi escrita e interpretada originalmente pela dolly parton, uma voz da música country que me cativa



(a versão original é menos intensa mas mais sentida)

quando eu era criança fazia-me confusão as pessoas morrerem... principalmente quando não eram velhas. na minha cabecinha infantil imaginava que os corpos avariavam quando a idade estava avançada e as pessoas já estavam mesmo à espera desse final de garantia mas... porque é que as pessoas mais novas morriam?

uma criança ir desta para melhor seria impensável porque ainda não tinha tido tempo para fazer uma coisa tão má cujo castigo era a morte e essa era a minha desculpa para os não-velhos morrerem: portarem-se mal ou não tomarem conta do corpinho, não existiam cá defeitos de fabrico ou azares

mas eu também pensava que era preciso pagar para trabalhar e que não era preciso deixar dinheiro no supermercado (as filas serviam apenas para dar baixa daquilo que se levava para casa, para depois o senhor que tomava conta mandar vir mais)

eu acho que não sabia bem o que era o dinheiro.

agora já sei que estar vivo é o contrário de estar morto (à primeira vista não parece mas é uma expressão sábia) e que é preciso trabalhar para ganhar o dinheiro que se dá ao senhor do supermercado.

falando em supermercado, uma coisa que eu comprava quase sempre quando passei a fazer as minhas próprias compras eram pêssegos porque eu adoro pêssegos e não se comiam assim tanto na minha terra natal.


relacionado com isto, havia uma senhora gordinha que dormia na rua na zona do supermercado e escrevia com uma letra muito bonita e cuidada num caderno pautado de capa preta (eu gosto dos cadernos com capa preta, antigamente forravam-se com posters da revista bravo ou então imagens rasgadas das "nova gente" das mães).
em primeiro lugar fazia-me muita confusão a mulher não ter muito que comer e ser gordinha e depois também estranhava nunca a ter visto com uma garrafa de vinho ou cerveja ou isso (a tal imagem de marca dos sem-abrigo)

a senhora mantinha-se cabisbaixa mas levantava sempre a cabeça para olhar para mim e de vez em quando sorria (se calhar porque eu usava cabelo longo e barba). uma vez tomei coragem e ofereci-lhe um pêssego em que ela ferrou os dentes assim que imaginou que eu não estava a ver e eu tive vontade de chorar porque se estivesse no lugar dela também ia querer um pêssego.

irrita-me viver com a consciência de pessoas que podem comprar pêssegos mas nem precisam deles. sinceramente não acho que eu mereça estar vivo porque não faço deste mundo um sítio melhor e acho que sou egoísta por dar-me ao luxo de comer pêssegos (que eu adoro).

uma história engraçada tem a ver com a pena de morte nos estados unidos. o rei ou imperador da etiópia ficou fascinado pelas cadeiras eléctricas e mandou logo vir três. aquilo custou para cima de uma pipa de massa e chegou uns tempos depois por avião e só aí lembraram-se que não havia electricidade na abissínia (actual etiópia)
a parte engraçada é que uma das cadeiras ficou a servir de trono real (e as outras duas de reserva)

nota eléctrica:
eu nunca soube e nunca me lembrei ou dei ao trabalho de perceber o funcionamento de uma cadeira eléctrica e também como funciona a injecção letal. vou tratar disso quando me lembrar.

nota amorosa:
vem aí o dia dos namorados, não é?
há dias vi num filme que "i love you" e "i´m in love with you" são coisas diferentes.
desde aí tenho tentado arranjar tradução para isto.

nota manuscrita:
raios, nunca soube nem imagino o que é que a senhora dos pêssegos escrevia no seu caderno de capa preta. confesso que cheguei a pensar em espreitar o caderno num dia em que estivesse a dormir (acontecia muitas vezes) mas ela guardava sempre o tal caderno no meio das tralhas ou então abraçava-se a ele, iria ser uma tarefa complicada... e estive mesmo para meter conversa a esse propósito com ela mas acobardei-me de todas as vezes e depois deixei de a ver.

 
rui duarte
20:29
terça-feira
24 jan 2012

adeus "às armas"


«A Naviera Armas enviou esta manhã uma informação aos seus maiores clientes na Madeira a anunciar o fim das suas operações entre esta Região Autónoma e o sul de Portugal. "Salvo mudanças imprevisíveis de última hora, a Naviera Armas realiza no próximo fim-de-semana a sua última viagem regular Funchal-Portimão-Funchal", revela a nota.»

 
rui duarte
19:53
domingo
15 jan 2012

o teatro de revista e os velhinhos


 
palmira maria
08:48
sexta-feira
23 dez 2011

o sol está quase a aparecer!
(o sol já deve ter aparecido mas quando eu comecei a escrever isto ainda estava de noite)

no inverno temos montes de desvantagens, os dias são mais curtos e apetece dormir mais porque está frio que causa moleza quando se está na cama...
é a sensação de já não se ter sono e mesmo assim não apetecer levantar mas lá tem que ser, não é? (é a injustiça da existência!) e logo hoje que tenho um dia começado por umas compras ligeiras, depois vou puxar pelo pouco intelecto que consigo dar uso e depois dedicar a noite aos amigos, alguns que não vejo há algum tempo (e é sempre bom rever alguém quando não se está farto dessa pessoa), no meio da confusão!!!
eu estou a reclamar mas gosto (quanto baste) desta confusão específica porque é a noite na cidade do funchal (para quem não sabe, o funchal é a capital do arquipélago da madeira) em que toda a gente vai ao mesmo sítio tomar um copo ou comprar tangerinas ou fazer o que lhe apetecer e todas as gerações de todas as classes sociais estão lá.

os primatas são estúpidos e não admira que tenhamos ficado em terceiro lugar na escala de inteligência planetária terrestre (em segundo lugar ficaram os golfinhos e em primeiro não posso dizer)

mas não se pode dizer que somos melhores que os outros porque tenho a impressão que toda a gente pensa isso, apenas é de nós próprios que temos que gostar e não dar importância a quem não gosta de nós... ainda há dias estava a ler em "shit my dad says" (uma conta do twitter, livro e ex-série-de-televisão) que não nos devemos focar em quem não gosta de nós, é demasiado óbvio que quando se faz um piquenique não se estende a toalha ao pé do único có-có de cão no jardim (ou então ao pé de um ninho de formigas)

o velho tem muita piada (mesmo!), enquanto estive a confirmar a opinião do senhor sobre os inimigos encontrei um pequeno texto que achei engraçadíssimo e não resisto a partilhar. é sobre a estupidificação pela internet:

- " What I´m trying to say is, don´t it trouble you that there´s a whole generation of people growing up that just say whatever the fuck they want, without any consequences?"
- "I don´t know, that´s just the internet," I said.
- "Don´t you get what that means, though?"
- "Not really," I replied.
- "You´re a bright kid but you sure like to wear an asshole´s costume every once in a while. It means that the future leaders of your country, I say your ´cause I´ll have long decomposed, are gonna be people that have absolutely no experience with actual confrontation. Thirty years from now the President of the most powerful country in the world is going to be some little shit who sat at his computer and hurled insults three feet away from his mommy´s tit like it was no big deal. I don´t condone fighting, but when a human being understands that his or her actions might result in a giant fist up his or her ass, he or she learns a thing or two about acting before they speak. All I´m saying is, I´m glad I´m going to be dead. Also, happy birthday. That´s why I called."

enfim, são palavras sábias e sabem tão bem. mas vou terminar:

gosto sempre de começar com uma imagem para ilustrar mais ou menos o que se pode ler à frente (uma espécie de "isto é o que te espera se continuares a ler") mas desta vez é ao contrário, a imagem vem no final:



(eu gosto deste vestido de noiva mas por cá, neste cantinho do planeta, era capaz de dar um bocadinho nas vistas)

 
rui duarte
07:30
segunda-feira
12 dez 2011

se eu tivesse noção do dia da semana iria detestar as segundas feiras...


então saiu um filme dos marretas e ninguém me avisou?! (deve ser uma treta mas pode-se experimentar...)

 
rui duarte
22:56
domingo
04 dez 2011

isto é singapura, que é um país!


é um micro estado mas não deixa de ser um país e até parece interessante.

 
palmira maria
22:31
sábado
03 dez 2011

isto não dói nada, eu primeiro, sim?


 
palmira maria
22:37
quinta-feira
01 dez 2011

tu...e o teu esforço para teres esses caracóis magníficos


 
palmira maria
13:44
quinta-feira
01 dez 2011

vou passear o cérebro, foi ele quem pediu :)


 
palmira maria
22:51
sábado
19 nov 2011

qr code
este é o aspecto do endereço desta página em qr code:


(pode ser que dê jeito, está na moda... e basta apontar a camera do smart phone para a malta vir cá ter)

 
rui duarte
21:54
quinta-feira
17 nov 2011

"casal capa de revista"


 
palmira maria
22:27
segunda-feira
14 nov 2011

eu bebi vinho do porto santo e não fiquei alcoolizada!


 
palmira maria
11:45
segunda-feira
14 nov 2011

"com todo o respeito"


já tenho o último álbum do jorge palma que inclui a "página em branco" (e vou ouvir em breve)

 
rui duarte
16:36
quinta-feira
10 nov 2011

aviso à tripulação: mecanismos internos
não tem havido disponibilidade (ou disposição) para implementar ferramentas necessárias ao funcionamento desta página mas estou a tratar disso...


nota:
continua a faltar a edição de escritas, apagar escritas e (para se ir pensando) um sistema de registo de utlizadores e autenticação que permita à audiência "fazer parte disto"
(o que tem feito principalmente falta tem sido a troca interna de galhardetes na forma de comentários)

talvez hajam novidades (muito) em breve.

 
rui duarte
12:38
terça-feira
08 nov 2011

isto começa a apertar...

...mas não deixa de ser divertido (e o tempo passa mais rápido)

 
rui duarte
 
escritas com a etiqueta "diário de bordo".
 
1 2
 
(página...)
 
etiquetas:
escritas: 2324

rui duarte

palmira maria