escritas com a etiqueta "leitura".
11:15
domingo
24 mar 2013

júlio dinis


"A emblemática escultura situada na Rua da Carreira retrata Júlio Dinis? Precisamente localizada em frente do imóvel onde habitou temporariamente, a escultura em bronze, da autoria do escultor madeirense Ricardo Velosa, pretende homenagear o médico e escritor Júlio Dinis (pseudónimo de Joaquim Coelho), portoense, que permaneceu na Madeira em três períodos diferentes na esperança de curar a tuberculose que o fazia sofrer, que infelizmente o fez falecer com 31 anos no Porto."

(encontrado no facebook - e eu não fazia ideia de quem era a estátua)

ficam como referência algumas obras do tuberculoso:

"As Pupilas do Senhor Reitor"
"Os Fidalgos da Casa Mourisca"
"A Morgadinha dos Canaviais"

o «suave e terno romancista português, cronista de afectos puros, paixões simples e prosa limpa» morreu em 1871 com a mesma doença que vitimou a sua mãe e todos os seus oito irmãos

 
rUI dUArtE
18:10
quinta-feira
21 mar 2013



 
rui duarte
01:58
terça-feira
19 mar 2013



 
rui duarte
14:44
sábado
16 mar 2013

uma das prendas mais lindas


é por isto que eu gosto (assim) de ti.

nota:
nunca li aqueles livros do stephen king (apenas vi o filme inspirado num dos contos de um dos livros) e o livro do cubo de rubik vai dar jeito, acredita.

 
rui duarte
15:51
domingo
13 jan 2013

assim disse o freud (ou não)

"O que Pedro pensa de Paulo, diz mais sobre Pedro do que Paulo"

é uma frase que se crê da autoria de freud mas apareceu bastante recentemente.
a frase original pertence a uma senhora francesa chamada lise bordeau que escreve livros da treta sobre inspiração e motivação, na sua forma original: "Ce que Pierre pense de Paul en dit plus sur Pierre que sur Paul"

eu cheguei a esta conclusão sozinho, que quando alguém nos diz mal de outra pessoa está a denunciar a sua maneira de ver e avaliar os outros e o que diz sobre a outra acaba por não ter importância porque apenas o podemos confirmar com a nossa experiência (um facto que faz parte da nossa natureza é que todas as pessoas, além de idiotas, são potenciais aldrabões)

outra frase indevidamente atribuída a freud foi escrita por william gibson, um escritor de ficção científica que celebra o seu aniversário dois dias depois de mim (no dia de são patrício):

"Antes de ser diagnosticado com depressão ou baixa estima, certifique-se de que não está rodeado por idiotas."

(uma inspiração que se comprova de vez em quando e dá um bocadinho de estima própria... porque sabe bem ter provas que somos uma maioria de idiotas e "eu" não sou assim tão idiota - mas não serve de nada)

para terminar, a última frase atribuída a este senhor que fumava como um cavalo, não gostava de quem não era fumador e dizia que os cigarros simbolizam o pénis porque são cilíndricos e em forma de tubo, com uma ponta quente e vermelha donde sai fumo como se fosse sémen:

"por vezes um cigarro é apenas um cigarro"

ora... esta frase apareceu pela primeira vez num jornal importante e com muito crédito, cerca de 10 anos após a morte do psicanalista e foi citada a partir daí. basta um pateta lembrar-se de mandar uma patagoada para ser verdade daí para a frente (e é também por isto que eu acho que devia haver uma distinção entre o que aparece na internet em português de portugal e em "brasileiro", porque eles são muitos mais e dali vem mais có-có - ao menos uma página na wikipédia independente porque já passou o limite do erro humano)

estou farto de ver erros claros que surgem da ignorância e falta de brio (já vi dizerem que certa música do lionel richie é do bob marley, só para dar um exemplo)

sumário:
não acreditar em tudo o que se lê e, em relação ao senhor freud (um charlatão), uma pessoa torna-se uma autoridade quando a sua audiência é ainda mais idiota do que ela.

 
rui duarte
18:21
domingo
30 dez 2012

a mão do diabo


já vou no XXXIII capítulo, mais ou menos a meio do livro, mais um do josé rodrigues dos santos que estou a apreciar imenso (e a aprender coisinhas novas)

gostei da piada do protagonista da história estar a ver o telejornal com "um apresentador sério e orelhudo"

nota literária:
nunca tinha feito isto, ler um livro "antes de o comprar"

 
rui duarte
 
18:17
domingo
30 dez 2012

o quebra-nozes
"Щелкунчик (Shchelkunchik, O Quebra-Nozes) é um dos três balés que Tchaikovsky compôs. Foi estreado em 17 de dezembro de 1892 no Teatro Mariinsky, em São Petersburgo, então a capital da Rússia imperial." (retirado da wikipédia)

O ballet conta as aventuras de um quebra-nozes de aparência humana, vestido como um soldado. A protagonista, Clara, gostou tanto dele que o pediu como presente de Natal ao seu padrinho. Assim, o senhor Herr Dosslmeyer, fabricante de relógios, disse: "Era precisamente para ti". A Clara experimenta-o e vê que ele quebra as nozes sempre sem perder o seu sorriso e também com grande eficácia. O seu irmão Fritz, que tinha visto o quebra-nozes, também quis usá-lo, mas escolheu as nozes maiores que havia no cesto e parte-lhe um dos braços. Então, o pai, o juiz Stahlbaun, entrega à filha o seu quebra-nozes como propriedade exclusiva, tendo Fritz que sair para brincar com os seus brinquedos.
Depois a Clara encontra o braço e abraçou o quebra nozes até adormecer e sonha que aparecem muitas ratazanas enormes. A casa desapareceu e ficaram árvores enormes no sítio onde estavam os móveis e não foi só isso que mudou: o Quebra-Nozes de Clara agora é um soldado de carne e osso e tem às suas ordens um pelotão de soldados como ele.
Começa uma batalha entre as ratazanas e o pelotão do Quebra-Nozes mas os soldados vencem a batalha com sapatos enormes que atiram às ratazanas, obrigando-as e ao seu rei a fugir.
O bosque torna-se numa linda estufa de inverno e o Quebra-Nozes transforma-se num lindo príncipe, que leva Clara até o Reino das Neves, onde a apresenta ao rei e à rainha (Fim do 1º Acto).
Clara e o príncipe Quebra-Nozes seguem para o Reino dos Doces pelo Caminho da Limonada, onde muitos pastéis de todos os reinos do mundo dançam com os dois.
Depois desse sonho tão mágico e fantástico, Clara acorda e percebe que estava a sonhar, e fica triste. Vai-se despedir do padrinho que tinha ido para casa na companhia do sobrinho. Então, para surpresa de Clara, o tal sobrinho é o príncipe Quebra-Nozes. (Assim acaba o 2º e último Acto)

(posso acrescentar que estou com um desgosto de encontrar um artigo tão mal escrito na wikipédia, tentei traduzir para português de portugal e adaptar o texto ao máximo mas acho que mais valia ter escrito de novo - é vergonhoso e embaraçoso ter que ler este conteúdo assim)

uma piada relacionada com quebra nozes:



outra cena russa tradicional são as bonecas matryoshka (não tenho a certeza que é assim que se escreve mas é parecido), uma dentro da outra.



gosto muito de coisas feitas em madeira (e, falando nisso, da entrada pequenina do imaginarium)



 
rui duarte
16:54
sexta-feira
07 dez 2012

O Tamanho das Pessoas


"Os Tamanhos variam conforme o grau de envolvimento. Uma pessoa é enorme para ti, quando fala do que leu e viveu, quando te trata com carinho e respeito, quando te olha nos olhos e sorri.

É pequena para ti quando só pensa em si mesma, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade, o carinho, o respeito, o zelo e até mesmo o amor.

Uma pessoa é gigante para ti quando se interessa pela tua vida, quando procura alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto contigo. E pequena quando se desvia do assunto.

Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma. Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos da moda.

Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas. Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.

É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. O nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de acções e reacções, de expectativas e frustrações.

Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente torna-se mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes.

Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. é a sua sensibilidade, sem tamanho."

Willian Shakespeare

encontrei este texto na internet com o nome do senhor shakespear mas não sei até que ponto confio na fonte porque (ponto número um) está escrito em brasileiro, (ponto número dois) não encontrei o texto original e (ponto número três) nunca se confia nas coisas que se vê na internet (mesmo que seja na wikipédia, aquele sítio fiável porque todos podem alterar os conteúdos)

como diria o senhor lincoln...



no fim de contas gostei desta filosofia da treta porque, de uma maneira geral, os mecanismos humanos estão mais ou menos espelhados neste texto (mesmo que as pessoas não se apercebam - e não tem que ser em questões amorosas)

 
rui duarte
15:07
terça-feira
04 dez 2012

o fim do prazo


este livro trata de gestão de projectos de software e usa termos técnicos e tudo. a novidade é que está escrito como um romance, com personagens e tudo (e a matéria está dada)

 
rui duarte
13:12
terça-feira
04 dez 2012

William Shakespeare

‎"Enquanto houver um louco, um poeta e um amante haverá sonho, amor e fantasia. E enquanto houver sonho, amor e fantasia, haverá esperança."

 
rui duarte
17:27
domingo
02 dez 2012

tio patinhas

o seu nome de baptismo é $crooge mcduck e a sua primeira aparição na banda desenhada foi há precisamente 65 anos.

nota curiosa:


o nome original dos irmãos metralha é "beagle boys" (e eu não sei porquê)

 
rui duarte
15:58
quinta-feira
29 nov 2012



 
rui duarte
17:17
quinta-feira
08 nov 2012

bram stoker


o seu 165º aniversário

 
rui duarte
21:40
sexta-feira
19 out 2012



 
palmira maria
20:00
quinta-feira
11 out 2012

she-hulk


a piada óbvia:
deixa-me adivinhar... ela fica assim de mês a mês durante 3 dias

 
rui duarte
21:50
quinta-feira
06 set 2012



 
rui duarte
08:00
domingo
26 ago 2012

gordinhas


três coisas:
- o texto da tal crónica que ultimamente acordou muita gente foi escrito em setembro de 2010 e a malta diz que não quer saber da escritora mas tanto tempo depois ainda se cospe por causa do que a senhora escreveu há dois anos
- para quem ainda não percebeu, "gordinhas" não é nada directamente com as gordas, é como dizer que tem que se ter cabelo louro para ser "loira" (mas isso das loiras burras já tem piada), por isso as gordas já se podem ir sentar. o texto tem a sua razão e não é preciso ser gorda para ser gordinha, pode-se ser só feia (pouco atraente), burra ou ter um handicap de personalidade que também resulta (se eu percebi não vejo porque a consciência colectiva não chega lá)
- muito menos percebi os homens que aparecem logo a defender as gordinhas (serão os "gordinhos"?)

nota psicológica:
o "efeito markl"... és parte da multidão ou és um marginal?

 
rui duarte
 
escritas com a etiqueta "leitura".
 
1 2 3 4 5
 
(página...)
 
etiquetas:
escritas: 2324

rui duarte

palmira maria