escritas com a etiqueta "os meus heróis".
00:50
terça-feira
24 jan 2012

"caro robert smith..."

«hello robert,

i know this is probably "just another letter" and that´s why i made it this short and simple.

like so many, i admire you and your music since i was a little boy (many years gone by). i still listen and love it! (by the way, i love "love song" and i have a "mary" too)

please reply.
your answer would be a sign from heaven! "hello" would be just great but i have a random question: (just for kicks) how do you like margaret tatcher?

hugs from portugal (loved your concert back in 2008)»



nota postal:
já nem me lembrava disto (não tinhas também uma carta para escrever?)



nota "filosófica":
gosto deste senhor e das suas ideias (a imagem anterior lembra a sua resposta à questão: "considera-se especial por ter tantos admiradores?..." disse que normalmente a opinião generalizada é má porque somos uma maioria de idiotas)

 
rui duarte
09:34
segunda-feira
23 jan 2012

banana split
três bolas de gelado, normalmente os clássicos morango, chocolate e baunilha (cada uma delas com o seu topping diferente, xarope de morango, chocolate e ananás), com chantilly por cima e uma cereja no topo, tudo entre uma banana cortada a meio e servido numa travessa alcunhada "barco" (que vem do inglês "boat")



foi inventado no início do século passado por um ajudante de farmácia e a coisa pegou porque os alunos de uma escola próxima fizeram daquilo um sucesso que depois alastrou.

há muito tempo que não vejo este "gelado mais caro da loja" mas... agora que falo nisso, já quase não existem lojas de gelado tradicionais com "receitas à antiga" (a única que tenho recordação é o sítio onde a minha mãe me comprava gelados que ainda existe)

nota pouco saudável:
nos últimos dias tem-me apetecido um grande gelado com os "ornamentos" todos (sim... o gelado é a guloseima mais calórica que se pode ingerir, mais do que bolos cheios de creme etecetera)

talvez seja apenas gula mas também carência de mimos (é "a criança dentro de mim" a manifestar-se)

 
rui duarte
11:56
sexta-feira
20 jan 2012

rainn wilson


nasceu em 1966 e faz anos hoje.

é um actor que já teve imensos papéis secundários em filmes conhecidos mas só teve alguma projecção com o seu papel na série "the office: an american workplace"

além de actor também é escritor (tal como o seu pai, e a mãe era professora de ioga), apreciador de arte (e tem uma espécie de loja de arte), fundou uma página da internet que debate as grandes questões da vida ("soulpancake"), é casado com uma escritora com quem tem um filho e 3 pitbulls e, acima de tudo, tem imenso sentido de humor.

é um dos meus (muitos) heróis

 
rui duarte
20:56
terça-feira
17 jan 2012

"jonathan livingston seagull"
(em português, "fernão capelo gaivota") este livro é um dos meus preferidos e em 1973 foi inspiração para um filme que não faço ideia como seja mas sei que foi cantado por neil diamond e esta é a sua sinopse:



"Jonathan is sick and tired of the boring life in his sea-gull clan. He rather experiments with new, always more daring flying techniques. Since he doesn´t fit in, the elders expel him from the clan. So he sets out to discover the world beyond the horizon in quest for wisdom..."

 
rui duarte
13:11
terça-feira
17 jan 2012

"kit-poncha" (e bolo do caco)
mais uma boa ideia de negócio que a nossa querida venda velha soube explorar, um conjunto para que as pessoas façam a sua própria poncha (é mais para turista gostar e levar lá para o seu país estrangeiro...)



custa cerca de 30 euros e inclui uma pequena garrafa de aguardente, boião(zito) de mel, saquinho de amendoins, pau de poncha, dois copos "roubados da venda velha", pau de poncha e chaveiro e brincos em forma de pau de poncha:



eu já experimentei e posso dizer que a aguardente é de má qualidade (não que eu seja um provador experimentado mas é porque não sabe bem e é fraquinha, 39% de álcool não é grande coisa se compararmos com a aguardente caseira que deixa um cheirinho a cana quando se tira a rolha) e que incluem laranja na receita da poncha e por isso não estão a seguir a verdadeira tradição



bem... sempre ouvi dizer que todas as pessoas contam as histórias à sua maneira, cada um adiciona qualquer coisa de si (uma opinião, um ênfase ou um exagero, etecetera) e também é verdade que cada um ouve o que quer

é por isto e também devido ao marketing e ao "jeito para o negócio" que as tradições se reinventam... (mas vão-se lixar, a melhor poncha apenas leva aguardente, mel e limão)

nota culinária:
há uns tempos descobri que o bolo do caco com manteiga de alho (um petisco que eu gosto muito!) teve a sua origem num restaurante que se chamava "espadarte" e fechou portas há muitos anos (entretanto tornou-se a casa do futebol clube do porto mas encerrou no início deste ano)
a história do pão com manteiga d´alho é muito simples, o dono desse restaurante tinha estado em áfrica e pretos gostavam de derreter a manteiga para lhe acrescentar salsa e alho (talvez também pimenta mas isso já não pegou) e decidiu experimentar lá no seu restaurante. foi um sucesso e toda a gente copiou.



e assim nasceu uma tradição (nos anos oitenta) e não admira que os nossos pais não se lembrem de bolo do caco com aquela manteiga na sua infância (e desta vez não podem culpar o salazar)

 
rui duarte
12:18
quarta-feira
11 jan 2012

"quanto mais silencioso estiveres, mais conseguirás ouvir"

(é uma ideia engraçada que se pode associar a muitas coisas mas tenho a confessar que é um lema de hackers)

 
rui duarte
10:38
terça-feira
10 jan 2012

"metropolis"


estreou nos cinemas num dia como hoje e é um filme alemão de ficção científica (considerado o primeiro deste género) produzido em 1927 e realizado pelo cineasta austríaco Fritz Lang. Foi a produção europeia mais cara até aquela data, e é considerado por especialistas um dos grandes expoentes do expressionismo alemão. O argumento, baseado no romance de Thea von Harbou, foi escrito por ela, em parceria com Lang.

resumo do filme, retirado da wikipédia:
O enredo é ambientado no século XXI, numa grande cidade governada autocraticamente por um poderoso empresário. Os seus colaboradores constituem a classe privilegiada, vivendo num jardim idílico, como Freder, único herdeiro do dirigente de Metropolis.
Os trabalhadores, ao contrário, são escravizados pelas máquinas, e condenados a viver e trabalhar em galerias no subsolo. Num meio de miséria entre os operários, uma jovem, Maria, destaca-se, exortando os trabalhadores a se organizarem para reivindicar seus direitos através de um escolhido que virá para os representar.

O ponto alto do filme e grande mote é, sem dúvida, o final onde a metáfora "O mediador entre a cabeça e as mãos deve ser o coração!" se concretiza no simbólico aperto de mão mediado por Freder entre Grot (líder dos trabalhadores) e Jon Fredersen - o empresário.

hitler ficou muito impressionado com este filme e tentou contratar o realizador para fazer propaganda nazi mas o senhor fritz fugiu para paris onde realizou várias peças contra o regime nazi e mais tarde foi viver para os estados unidos.

 
rui duarte
23:01
domingo
08 jan 2012

herman hollerith
era um método muito "rústico" mas pode-se dizer que o processamento de dados moderno começou com a invenção de um americano que foi patenteada há exactamente 123 anos (a efeméride é esta)



a grande novidade foi o uso da electricidade neste tipo de tarefas. as suas máquinas foram usadas para realizar os censos da américa num tempo recorde de 1 ano enquanto que os anteriores, feitos à mão, demoraram quase oito anos.



a inspiração para este invento, simples cartões perfurados, foram os bilhetes de comboios que eram picados.

e ainda falta dizer que este senhor fundou a sua própria empresa que viria a tornar-se a IBM (e esta?...)

nota inventiva:
hoje descobri que o dia do inventor foi instituído a 9 de novembro mas falo nisso depois

 
rui duarte
16:03
sábado
07 jan 2012

miguel gonçalves
é um bocado caga-de-saco mas simpatizo imenso com o discurso dele, principalmente porque motiva os macacos-humanos ao abandono do lamento e à afirmação: "sinto-me potente!"


escusadas eram as expressões em latim mas de resto impressiona e até faz ter orgulho do nosso país e uma certa vontade de "mudar" (fazer alguma coisa e tal)

 
rui duarte
14:49
sábado
07 jan 2012

a família addams


hoje o google celebra o centésimo aniversário de charles addams, o criador da banda desenhada famosa que veio a culminar na série dos anos sessenta (de 1964 a 1966) e nos filmes mais recentes (e jogos de computador e acho que também uns desenhos animados)



neste parágrafo (por traduzir) dá para perceber a genialidade da família:

"The Addams Family characters include Gomez, Morticia, Uncle Fester, Lurch, Grandmama, Wednesday, Pugsley, and Thing. Addams drew them as a satirical version of the typical American family. They were an eccentric, wealthy clan who often found pleasure in the macabre and were completely unaware that people found them bizarre or frightening."

gosto muito e fiquei com a música em repeat na cabeça...

 
rui duarte
12:53
sexta-feira
06 jan 2012

monas lisas
agora risquei o disco neste assunto da arte e os seus sucedâneos pobres...
faltou dizer que o senhor duchamp desenhou a sua própria barbinha e bigode no postal da mona lisa e a boquinha da senhora ter fogo no rabo tem qualquer coisa de sexual... não era para dizer mas o leonardo que pintou a mona lisa era paneleiro e as más-línguas afirmam que se trata de um auto-retrato (mas não é para contar...)

anos mais tarde salvador dali (em 1958) pintou o seu próprio auto-retrato com inspiração no mesmo quadro:



fica também a "mona lisa do cubismo" que adora o seu cházinho e está toda nua, foi pintada em 1911, intitula-se "le gouter" (significa na língua das nossas mães: "o gosto") e é a obra de jean metzinger:



e por último, o senhor andy warhol também brincou em serigrafia com a mona lisa:



mas o que se tira disto tudo é que a mona lisa tem 500 anos e toda a gente se surpreende com o seu espantoso estado de conservação



e não admira... porque foi roubada muitas vezes e é melhor nem falar nas vezes em que foi destruída.
estaremos provavelmente a olhar para uma cópia da cópia da cópia (etecetera) de um quadro que um maricas pintou e que toda a gente está programada para adorar (porque aparece nos livros da primária, nos filmes e porque fazem postais baratos daquilo)

 
rui duarte
11:37
sexta-feira
06 jan 2012

urinol
diz que é o expoente máximo do dadaísmo e não passa de um urinol que, em vez de estar assente na parede, está deitado no chão... o senhor duchamp assinou "r. mutt 1917" em vez do seu nome e assim passou a ser obra dele



diz que o original perdeu-se e as "obras de arte" que circulam por todos os museus são "cópias" que duchamp arranjou em 1960

notas artísticas:
- pelo que eu percebo destas coisas, o dadaísmo é uma espécie de anti-arte onde qualquer objecto, seja uma coisa já feita ou não (como é o caso do urinol que apenas levou com uma assinatura da treta e não está na sua posição natural), é uma possível (provável?) obra de arte
- o urinol intitula-se "a fonte" e está avaliado em 3 milhões de euros

tenho uma coisa a dizer:
acho que gozar com a inteligência dos outros é feio mas esta é uma boca muito bem mandada aos tão acreditados e afamados conhecedores e admiradores de arte (e também para aquelas pessoas que "ouvem e repetem")


 
rui duarte
08:37
terça-feira
27 dez 2011

um bom dia diferente (com pauzinhos chineses)
esta é uma daquelas coisas que não sei porque me lembrei mas tenho ideia de ter sonhado que estava a comer no chinês, num daqueles de buffet, e insisti em usar os pauzinhos.



(não faço ideia o que está escrito com as letras extraterrestres - espero que não seja um insulto - mas a imagem tem bom aspecto)

já ninguém se lembra bem mas a invenção destes pauzinhos deve remontar a 1500 anos antes do menino jesus e diz que o seu uso foi difundido por um grande amigo, o senhor confúcio.



esta é uma das fotos mais recentes do amarelo (mas espera lá que eu também não percebi... os pauzinhos ficaram 1000 anos no armário?)

o "filósofo" com as suas teorias andou a popularizar esta forma de levar a comida à boca com o argumento que as facas ou outros objectos afiados eram associados a agressão ou violência e não deviam ter lugar à mesa mas... há uma razão muito mais prática! começou-se a partir a comida em bocadinhos pequenos (quanto baste) para a comida cozinhar mais depressa e tornar-se mais cómodo levar à boca e mastigar, o que facilitou também a moda dos pauzinhos chineses.

por curiosidade:
- no planeta usar pauzinhos é a segunda forma mais comum de comer, a primeira é comer com as mãos.
- no japão consideram maus modos à mesa espetar comida com o pauzinho, passar comida de pauzinhos para pauzinhos, arrastar o prato com os paus ou pingar molho na toalha
- não existem más maneiras na china

esta é a minha mensagem de bom dia, escrita "na pedra" por confúcio:

"o maior prazer da pessoa inteligente é passar por idiota diante do idiota que quer passar por inteligente"

(eu gosto tanto deste velho chinês e concordo imenso com ele)

 
rui duarte
08:48
sexta-feira
23 dez 2011

o sol está quase a aparecer!
(o sol já deve ter aparecido mas quando eu comecei a escrever isto ainda estava de noite)

no inverno temos montes de desvantagens, os dias são mais curtos e apetece dormir mais porque está frio que causa moleza quando se está na cama...
é a sensação de já não se ter sono e mesmo assim não apetecer levantar mas lá tem que ser, não é? (é a injustiça da existência!) e logo hoje que tenho um dia começado por umas compras ligeiras, depois vou puxar pelo pouco intelecto que consigo dar uso e depois dedicar a noite aos amigos, alguns que não vejo há algum tempo (e é sempre bom rever alguém quando não se está farto dessa pessoa), no meio da confusão!!!
eu estou a reclamar mas gosto (quanto baste) desta confusão específica porque é a noite na cidade do funchal (para quem não sabe, o funchal é a capital do arquipélago da madeira) em que toda a gente vai ao mesmo sítio tomar um copo ou comprar tangerinas ou fazer o que lhe apetecer e todas as gerações de todas as classes sociais estão lá.

os primatas são estúpidos e não admira que tenhamos ficado em terceiro lugar na escala de inteligência planetária terrestre (em segundo lugar ficaram os golfinhos e em primeiro não posso dizer)

mas não se pode dizer que somos melhores que os outros porque tenho a impressão que toda a gente pensa isso, apenas é de nós próprios que temos que gostar e não dar importância a quem não gosta de nós... ainda há dias estava a ler em "shit my dad says" (uma conta do twitter, livro e ex-série-de-televisão) que não nos devemos focar em quem não gosta de nós, é demasiado óbvio que quando se faz um piquenique não se estende a toalha ao pé do único có-có de cão no jardim (ou então ao pé de um ninho de formigas)

o velho tem muita piada (mesmo!), enquanto estive a confirmar a opinião do senhor sobre os inimigos encontrei um pequeno texto que achei engraçadíssimo e não resisto a partilhar. é sobre a estupidificação pela internet:

- " What I´m trying to say is, don´t it trouble you that there´s a whole generation of people growing up that just say whatever the fuck they want, without any consequences?"
- "I don´t know, that´s just the internet," I said.
- "Don´t you get what that means, though?"
- "Not really," I replied.
- "You´re a bright kid but you sure like to wear an asshole´s costume every once in a while. It means that the future leaders of your country, I say your ´cause I´ll have long decomposed, are gonna be people that have absolutely no experience with actual confrontation. Thirty years from now the President of the most powerful country in the world is going to be some little shit who sat at his computer and hurled insults three feet away from his mommy´s tit like it was no big deal. I don´t condone fighting, but when a human being understands that his or her actions might result in a giant fist up his or her ass, he or she learns a thing or two about acting before they speak. All I´m saying is, I´m glad I´m going to be dead. Also, happy birthday. That´s why I called."

enfim, são palavras sábias e sabem tão bem. mas vou terminar:

gosto sempre de começar com uma imagem para ilustrar mais ou menos o que se pode ler à frente (uma espécie de "isto é o que te espera se continuares a ler") mas desta vez é ao contrário, a imagem vem no final:



(eu gosto deste vestido de noiva mas por cá, neste cantinho do planeta, era capaz de dar um bocadinho nas vistas)

 
rui duarte
16:15
terça-feira
20 dez 2011

o que vou vestir hoje?...


 
rui duarte
12:15
quinta-feira
15 dez 2011

sarah silverman


nasceu a 1 de dezembro de 1970, encontrou o seu cão no lixo, faz um bocadinho de tudo e tem muita piada

(sentido de humor: provavelmente a melhor qualidade que se pode ter)

nota canina:
o senhor google contou-me que o cãozinho (que não é um beagle) chama-se "doug" (e foi realmente encontrado no lixo)

 
rui duarte
13:21
segunda-feira
05 dez 2011

assim o google recordou charlie chaplin (charlot) no dia do seu 122º aniversário, a 16 de abril



este senhor é um dos meus heróis, nunca gozava com os fracos ou pequeninos, apenas com os "outros"

nota:
estas "imagens comemorativas" do google chamam-se doodles

 
rui duarte
 
escritas com a etiqueta "os meus heróis".
 
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
 
(página...)
 
etiquetas:
escritas: 2324

rui duarte

palmira maria